Base de dados : FILMOGRAFIA
Pesquisa : ID=022084 []
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Completo]

página 1 de 1


   1 / 1
seleciona
FAUSTÃO
Categorias
Longa-metragem / Sonoro / Ficção

Material original
35mm, COR, 113min42seg, 2.860m, 24q, Eastmancolor

Data e local de produção
Ano: 1971
País: BR
Cidade: Rio de Janeiro
Estado: GB


Certificados
Censura 18 anos.
Data e local de lançamento
Data: 1971.05.24; 1971.06.14
Local: Rio de Janeiro; São Paulo


Sinopse
Um bando de cangaceiros liderados por Faustão intervém na briga entre integrantes das famílias Pereira e Araújo. Henrique Pereira, filho do coronel Pereira, é ferido em uma tocaia. Faustão o socorre e exige que seu pai lhe pague um resgate em troca da vida do filho. O cangaceiro diz a Henrique que ele não é prisioneiro e que está fazendo isso para obedecer à lei do sertão. Faustão oferece sua mulher, Benvinda, ao rapaz e eles passam a noite juntos. Lucena, capanga da família Araújo, procura Faustão e lhe oferece o dobro da quantia que ele pedira ao coronel para ter o jovem Henrique como seu prisioneiro. Faustão recusa a oferta e Lucena o ameaça. O coronel Henrique paga o resgate, mas Henrique se recusa a voltar para casa mesmo sabendo da guerra entre sua família e os Araújo. O jovem escolhe integrar-se ao bando e é bem aceito por Faustão e os outros. Lucena e seus homens atacam um acampamento e matam amigos de Faustão. Quando este descobre, jura vingar-se a qualquer custo. Os dois grupos se enfrentam e o bando de Faustão, em menor número, bate em retirada. O coronel Pereira solicita a ajuda de parte da população da região para se defender dos ataques de Lucena e seus subordinados. Recuperados, os homens de Faustão partem para novo confronto. Lucena e Faustão travam um duelo onde o cangaceiro leva a melhor, antes porém, o capanga dos Araújo atinge o coronel Pereira que morre nos braços do filho. Henrique se casa e assume o lugar do pai, tornando-se o novo coronel e Faustão, sem o seu bando, passa os dias ao lado de Benvinda. Henrique o procura para ajudá-lo a ir embora já que não vê alternativa aos cangaceiros com o anúncio da chegada do progresso ao sertão. Faustão entende a preocupação do amigo, mas diz que vai continuar com sua vida de cangaceiro. Ele forma um novo bando e Henrique é obrigado a combatê-lo. Os dois travam um duelo e Faustão pede a Henrique que o mate. O jovem coronel se recusa a fazê-lo. Faustão é morto pelos homens de Henrique que chora junto ao corpo do cangaceiro.
Gênero
Faroeste
Termos descritores
Crime
Descritores secundários
Cangaço
Termos geográficos
PE
Produção
Companhia(s) produtora(s): Saga Filmes
Produção: Bruni, Livio
Direção de produção: Teixeira, Rubens
Produção executiva: Hirszman, Leon; Farias, Marcos
Assistência de produção: Pedroso, Teodoro A.; Dantas, Paulo; Leão, J. A. Souza

Produção - Dados adicionais
Financimento/patrocínio: Alvino, Ricardo; Amering A. G.; Banco da Bahia; Banco Nacional do Norte

Distribuição
Companhia(s) distribuidora(s): Difilm; Embrafilme - Empresa Brasileira de Filmes S.A.

Argumento/roteiro
Argumento: Coutinho, Eduardo; Costa, Armando
Roteiro: Coutinho, Eduardo


Direção
Direção: Coutinho, Eduardo
Assistência de direção: Lombardi, Lucio
Continuidade: Martins, Paulo

Fotografia
Direção de fotografia: Medeiros, José
Assistência de fotografia: Batista, Edson
Câmera: Medeiros, José

Dados adicionais de fotografia
Chefe eletricista: Potiolli, Claudio
Maquinista: Zete, Borrego; Sebastião; Marivaldo

Dados adicionais de som
Efeitos sonoros: José, Geraldo
Som guia: Arrais, Antonio
Assistência de dublagem: Azevedo, Rubens

Montagem
Montagem: Higino, Raimundo

Direção de arte
Figurinos: Ripper, Luis Carlos
Guarda-roupa: Pacheco, Diva
Cenografia: Ripper, Luis Carlos
Programação visual: CN Promoções

Dados adicionais de direção de arte
Contra-regra/acessórios de cenografia: Flavio, Marcos
Maquiagem: Abreu, Ronaldo; Nena

Dados adicionais de música
Título da música: Vida é um buraco, A;
Música de: Pixinguinha;
Intérprete(s): Banda de Pífanos de Caruaru;

Título da música: Deusa
Música de: Alves, Francisco
Intérprete(s): Banda de Pífanos de Caruaru

Identidades/elenco:
Gomes, Eliezer (Faustão)
Gomes, Jorge (Henrique)
Freire, Gracinda (Benvinda)
Pimentel, José (Anjo Lucena)
Samuca (Beatinho)
Guimarães, Paulo (Silêncio)
Mendes, Valter (Ponto Fino)
Feitosa, Cleytson (Ginásio)
Ney, Roberto (coronel Pereira)
Mamberti, Valquiria (Jupira)
Teixeira, Rubens (Leonardo)
Reis, Leandro
Albuquerque, Antonio (coronel Araújo)
Soares, Cosme
Eusébio, Josué (Sariema)
Costa, Taisa (Branca)
Claudio, José (Seu Nazir)
Alves, Laercio (tenente Deodato)
José, Damião (Macambira)
Santos, Rafael (Estrupiço)
Povo de Mandaçaia - PE
Participação especial:
Rocha, Anecy(Vaninha)

Conteúdo examinado: S
Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
ALSN/DFB-LM
Cineclube Macunaíma, Rio de Janeiro - RJ. Folhetos de programação.
Guia de Filmes, 33
Fontes consultadas:
ACPJ/II
Observações:
Os letreiros do filme indicam o ano de 1927 para a música "A Vida é um Buraco" de <Pixinguinha>, e 1932 para "Deusa", música de <Freire Jr.> assinada por <Alves, Francisco>.
Cineclube Macunaíma indica <VIDA, PAIXÃO E MORTE DE FAUSTÃO, O CANGACEIRO NEGRO> como título originalmente pensado pelo diretor. Indica, também, ser a segunda produção da <Saga Filmes> no gênero o cangaço.




página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Pesquisa avançada   
Pesquisar por : Pesquisa simples   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH powered by WWWISIS