Base de dados : FILMOGRAFIA
Pesquisa : ID=003362 []
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Completo]

página 1 de 1


   1 / 1
seleciona
A HORA E VEZ DE AUGUSTO MATRAGA
Categorias
Longa-metragem / Sonoro / Ficção

Material original
35mm, BP, 106min, 3.150m, 24q, Agfa Gevaert / Eastmancolor, 1:1'66

Data e local de produção
Ano: 1965
País: BR
Cidade: São Paulo
Estado: SP


Certificados
Certificado de Censura Federal 26.466 de 09.11.1965, 25m, livro 5, 20 cópias, proibido para menores de 10 anos, avant-trailer.Certificado de Censura Federal 27.154 de 21.12.1965, livro 5, 105m, trailer, 15 cópias, proibido para menores de 10 anos.Certificado de Censura Federal 27.155 de 21.12.1965, livro 5, 3.232m, 15 cópias, proibido para menores de 10 anos.
Data e local de lançamento
Data: 1966.03.09
Local: São Paulo
Sala(s): Olido


Sinopse
Augusto Matraga é um fazendeiro violento que, atraiçoado pela esposa e emboscado por inimigos, é massacrado a pauladas e dado como morto. Salvo por um casal de negros humildes, enfrenta um longo período de total incapacidade física. Por influência do casal, volta-se para a religiosidade, convencendo-se de que está pagando pelos erros cometidos. Começa assim uma longa penitência, à espera de sua hora e sua vez. Com o tempo, recupera suas forças, mas ele só percebe isso quando conhece Joãozinho Bem-Bem, famoso chefe de jagunços que vislumbra nele o homem violento do passado. Matraga começa então a oscilar entre seu temperamento agressivo, seu escondido desejo de vingança e o misticismo e a bondade que não consegue mais abandonar. Vive nesse conflito até o instante em que surge o momento de lutar, brigar e expandir sua violência, em nome de sua fé, e de sua valentia. (Baseado no press-release)
Gênero
Drama
Termos descritores
Literatura; Comportamento social; Fazenda; Crime; Religião; Morte
Descritores secundários
Adaptação para cinema; Sertão; Jagunço; Igreja Católica; Salvação; Misticismo
Termos geográficos
MG
Prêmios
Melhor Filme; Melhor Direção; Melhor Argumento; Melhor Diálogo para Guarnieri, Gianfrancesco e Melhor Ator para Villar, Leonardo na Semana do Cinema Brasileiro, 1, 1965, Brasília, DF..
Prêmio Governador do Estado,1966, Rio de Janeiro, GB, de Melhor Filme..
Prêmio Saci, 1966, SP, de Melhor Roteiro..
Prêmio Humberto Mauro da Editora Civilização Brasileira, 1967, de Melhor Roteiro..
Prêmio Curumin, 1966, Marília, SP, como Melhor Filme do Ano..
Prêmio Governador do Estado, 1967, SP, de Melhor Roteiro e Melhor Direção.
Produção
Companhia(s) produtora(s): Luis Carlos Barreto Produções Cinematográficas; Difilm
Produção: Barreto, Luiz Carlos
Direção de produção: Souza, Ivan de
Produtor associado: Santos, Roberto; Santos, Nelson Pereira dos; Fernandes, Luís Carlos P.; Vandré, Geraldo
Assistência de produção: Pacheco, Cezar; Karam, Jorge

Produção - Dados adicionais
Financimento/patrocínio: CAIC; Banco do Estado da Guanabara

Distribuição
Companhia(s) distribuidora(s): Difilm - Distribuição e Produção de Filmes Brasileiros Ltda.; Embrafilme - Empresa Brasileira de Filmes S.A.; Cinematográfica Polifilmes Ltda.

Argumento/roteiro
Roteiro: Santos, Roberto
Diálogos adicionais: Guarnieri, Gianfrancesco

Estória: Baseada no conto homônimo de <Rosa, João Guimarães>

Direção
Direção: Santos, Roberto
Assistência de direção: Guaracy Rodrigues; Carneiro, Harley D.

Fotografia
Direção de fotografia: Silva, Hélio
Assistência de fotografia: Souza, Ronaldo Nunes de
Assistência de câmera: Souza, Ronaldo Nunes de; Portioli, Claudio

Dados adicionais de fotografia
Chefe eletricista: Medeiros, Ruy

Som
Direção de som: Montagna, Sérgio

Dados adicionais de som
Sonoplastia: José, Geraldo; Goulart, Walter

Montagem
Montagem: Renoldi, Sylvio

Dados adicionais de montagem
Montador de negativo:

Direção de arte
Figurinos: Horta, Assis A.

Dados adicionais de direção de arte
Maquiagem: Herrera, Anael

Música
Trilha musical: Vandré, Geraldo

Dados adicionais de música
Instrumentista: Oliveira, Luiz R. - violão e viola brasileira; Nenê - flauta; Toledo, Ary - voz; Trio Marayá - voz; Vandré, Geraldo - voz

Regente Maestro: Lorenzon, Walter

Canção
Título: Cantiga brava;
Autor da canção: Vandré, Geraldo;
Intérprete: Vandré, Geraldo;

Título: Modinha;
Autor da canção: Vandré, Geraldo;
Intérprete: Vandré, Geraldo;

Título: Hora de lutar
Autor da canção: Vandré, Geraldo
Intérprete: Vandré, Geraldo

Locação: Diamantina - MG; Mendanha - MG; Sopa - MG; Guinda - MG; Costa Sena - MG
Identidades/elenco:
Villar, Leonardo (Augusto Matraga)
Soares, Jofre (Joãozinho Bem-Bem)
Ribeiro, Maria (Dionora)
Campos, Áurea (Quitéria)
Migliaccio, Flávio (Quim Recadeiro)
Karam, Jorge
Cavalcanti, Emmanoel (João Lomba)
Souza, Ivan de (Jurumim)
Trindade, Solano (pai das crianças)
Marinho, José
Carnera, Antonio (Major Consilvo)
Araujo, Alvaisa
Rodrigues, Eva
Herrera, Anael
Brito, José
Participação especial:
Valle, Maurício do(padre moço)

Conteúdo examinado: S
Fontes utilizadas:
CB/Transcrição de letreiros-Cat
LRB/CP
CB/Em Memória
FBR/30ACF
Jornal da Tarde, 03.07.1995
Folha de S. Paulo, 07.07.1995
CENS/IV
O Dia, 25.01.1963
CB/EMB-110.2-00464
Site, Abraccine, disponível em https://abraccine.org/2015/11/27/abraccine-organiza-ranking-dos-100-melhores-filmes-brasileiros/, acesso em: 15.07.19.
CB/Documentação diversa, D454/23
MS-BC/CB/2009
Fontes consultadas:
ACPJ/I
CA/AF
IS/RS
OTF/RS
Site, Cineasta Roberto Santos, disponível em http://www.cineastarobertosantos.com.br/biografia_premiacao.html, acesso em: 12.07.19.
Observações:
A <Semana do Cinema Brasileiro> em sua terceira edição passou a se chamar de <Festival de Brasília>.
O Dia, de 25.01.1963, cita o filme como produção de <Aguiar, Ferdinando> para a <Campos Elíseos Cinematográfica>.
Jornal da Tarde de 03.07.1995 comenta que a nova cópia do filme abriu o <Festival de Gramado, 22, 1994> e o <Festival de Brasília>, ambos em 1994, e anuncia o seu relançamento em comemoração aos 30 anos de sua realização. Sua pré-estreia aconteceu no anexo do <Espaço Banco Nacional>, São Paulo, neste dia.
Folha de S. Paulo de 07.07.1995 informa o relançamento do filme, em cópia restaurada. A exibição ocorre do dia 07.07.1995 até o dia 20.07, com 2 sessões diárias, na sala 4 do anexo do <Espaço Banco Nacional>.
ACPJ/I aponta <Pereira, Haroldo> como assistente de direção; <Nogueira, Armando> como cenógrafo; e acrescenta no elenco: <Pereira, Haroldo> e <Medeiros, Sudario>.
<Rodrigues, Guará> é o nome abreviado de <Rodrigues, Guaracy>.
Representante oficial do Brasil no <Festival Internacional do Filme de Cannes, 1966>; eleito um dos melhores filmes do ano pelos críticos de Belo Horizonte, Curitiba e Rio de Janeiro.
A <Abraccine> - <Associação Brasileira de Críticos de Cinema> inclui a obra entre os 100 melhores filmes brasileiros, em lista elaborada em 2015.
Em 2014 foi concluída nova restauração da obra, realizada pela <Cinemateca Brasileira>.




página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Pesquisa avançada   
Pesquisar por : Pesquisa simples   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH powered by WWWISIS